Notícias

Há três modalidades em risco de deixarem de ser desportos olímpicos

É um risco deixarmos as crianças sem a vacina da covid, aponta infectologista

Infectologista alerta dos riscos de deixar crianças de fora da vacinação contra covid. Afinal, elas ainda podem se contaminar, transmitir e favorecer mutações

É um risco deixarmos as crianças sem a vacina da covid, aponta infectologista

É arriscado manter um grupo grande da população brasileira, como as crianças, sem acesso à vacinação contra a covid-19. Afinal, estas pessoas estão expostas ao coronavírus SARS-CoV-2 — incluindo a variante Ômicron (B.1.1.529) — e podem transmitir a doença. Além disso, a alta circulação do vírus pode favorecer novas mutações. É o que aponta a médica infectologista Natasha Ferreira, do Hospital Estadual de Serrana.

CoronaVac pode ser atualizada para combater variante Ômicron

Quais países autorizam uso da vacina CoronaVac em crianças com mais de 3 anos?

“É um risco manter um número tão grande da nossa população não imunizada. As crianças e adolescentes, além de estarem expostos, passam a ser vetores. E quanto mais o vírus se espalha, maior a chance de surgirem mutações e outras variantes, que talvez sejam resistentes às vacinas. Precisamos começar a vacinar crianças o mais rápido possível para garantir a segurança de todos nós”, defendeu a infectologista.

“Em 2020, fazia sentido focar apenas na população adulta [durante a campanha de vacinação]. Era a população que tinha sido estudada [nos estudos clínicos dos imunizantes] e era a maior população”, lembra Ferreira. Naquela época, vacinar os adultos era também proteger as crianças. No entanto, a situação brasileira se alterou nos últimos meses.

Hoje, parte significativa da população adulta já foi vacinada, mas crianças ainda são o último grupo de brasileiros a não receber imunização contra a covid-19. Dessa forma, são potencialmente os que mais correm riscos com as mutações do agente infeccioso.

“Conforme o vírus se espalha, se multiplica, mesmo através de casos leves [como é tendência entre as crianças], maior a chance dele sofrer alguma mutação e surgirem outras variantes”, acrescenta a infectologista.

A fala da médica Natasha Ferreira ocorreu na quarta-feira (8), durante o CoronaVac Symposium. Esse é um evento internacional realizado pelo Instituto Butantan, com o apoio da farmacêutica chinesa, que busca discutir, de forma aberta e acessível, as evidências sobre eficácia e segurança desta vacina contra a covid-19, onde o Canaltech esteve presente.

Vale lembrar que, hoje, nenhuma vacina contra a covid-19 pode ser aplicada em crianças, na faixa etária de 5 a 11 anos, no Brasil. No caso específico da CoronaVac, seis países já iniciaram a vacinação dos menores de 18 anos. São eles:

China

Chile

Equador

Hong Kong

Indonésia

Camboja

Colômbia

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou, em agosto deste ano, que mais dados seriam necessários para aprovar a CoronaVac para as crianças brasileiras. A justificativa foi de que o estudo apresentado tinha uma baixo número de participantes.

Após levantar mais dados, o Butantan deve fazer uma nova solicitação para o uso pediátrico na próxima semana, segundo informou a diretora de controle de qualidade de pesquisa e desenvolvimento do instituto, Patrícia Carneiro.

“Vamos apresentar um novo documento com dados da vacinação do Chile e da China, que utilizaram o imunizante CoronaVac em mais de 63 milhões de crianças. Os resultados comprovam a segurança e imunogenicidade da vacina na faixa etária de 3 a 18 anos”, detalhou Carneiro.

A Anvisa analisa, neste momento, um pedido da farmacêutica norte-americana Pfizer para o público infantil. Caso a autorização seja concedida, esta vacina contra a covid-19 poderá ser aplicada em crianças na faixa etária de 5 a 11 anos.

Para conferir a participação completa da Natasha Ferreira e da Patrícia Carneiro, no CoronaVac Symposium, veja o vídeo a seguir, a partir do minuto 08:00:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Como o Sol “pega fogo” se não tem oxigênio no espaço?

Escolha do analista: o melhor celular para usar por muitos anos

Linguagem de programação clássica volta a ser queridinha dos desenvolvedores

Como colocar senha em conversas no WhatsApp

Ômicron: 7 sintomas associados à nova variante do coronavírus

Jogos Olímpicos de Tóquio2020 foram os mais vistos da história

Os Jogos Olímpicos de Tóquio2020 contaram com uma audiência global de mais de três mil milhões de espetadores, sendo os mais vistos de sempre, segundo um estudo hoje divulgado pelo Comité Olímpico Internacional (COI).

Jogos Olímpicos de Tóquio2020 foram os mais vistos da história

© Lusa

21:04 – 08/12/21 porDiogo Nunes

DesportoCOI

A cobertura oficial dos jogos no Japão através das plataformas digitais e dos canais associados gerou 28 mil milhões de visualizações de vídeo no total, mais 139% face aos anteriores Jogos no Rio de Janeiro (2016).

Por seu turno, a quantidade de cobertura televisiva disponível subiu 33%, enquanto a produção digital cresceu 34% num evento que, devido à pandemia de covid-19, não contou com público pela primeira vez e foi adiado de 2020 para este ano.

O presidente do COI, Thomas Bach, realçou em conferência de imprensa que estes dados refletem o sucesso de Tóquio2020, bem como o panorama de mudança na comunicação e a maior interação do público jovem com os Jogos Olímpicos.

Paralelamente, o responsável anunciou o lançamento de um pacote de ajuda humanitária dirigido à comunidade olímpica e paralímpica do Afeganistão, em colaboração com a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

O pacote de 560 mil dólares (cerca de 493 mil euros) visa beneficiar cerca de duas mil pessoas.

Bach também foi questionado sobre a tenista chinesa Peng Shuai, que denunciou numa rede social que o ex-vice primeiro-ministro Zhang Gaoli abusou sexualmente dela, e cujo estado de saúde e paradeiro têm levantado preocupações na comunidade internacional.

“Vamos manter o nosso acompanhamento através de videoconferências. A prioridade é garantir a sua integridade física, um dos direitos humanos fundamentais”, vincou o líder do COI.

Cancún desde 556€ ida e volta!

Mergulhe nestas praias que são autênticos cenários de postal. Reserve já!

Apresentamos-lhe ‘Os Originais’: Nunca comeu frutos secos como estes!

Seja sempre o primeiro a saber.Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.Descarregue a nossa App gratuita.

Regras de conduta dos comentários

31.300€

18.890€

23.900€

19.900€

41.500€

33.490€

FC Porto cai na armadilha espanhola e está fora da Liga dos Campeões

Gonzalo Plata envolve-se em violento acidente e com taxa crime de álcool

Sporting fez experiências e deu-se mal frente ao Ajax

Benfica despacha Dínamo Kiev e está nos ‘oitavos’ da Youth League

Jornalistas espanhóis dizem ter sido agredidos no Dragão

O onze do Benfica para a ‘final’ com o Dínamo Kiev

O onze provável do Benfica para a receção ao Dínamo Kiev

Estava lá uma ‘pulga’ para atrapalhar: As notas do Ajax-Sporting

“Carrega Benfica”: Águias com ‘reforço’ improvável em dia de decisão

O estado em que ficou o carro de Gonzalo Plata após o acidente

Os possíveis adversários do Sporting nos ‘oitavos’ (com dois por definir)

[2-0] Benfica-Dínamo Kiev: Já se joga a segunda parte na Luz

Sérgio Conceição taxativo: “Há uma infantilidade do nosso jogador…”

Rúben Amorim rejeitou proposta do Leipzig para deixar o Sporting

Vitória do Benfica sobre o Dínamo Kiev contou com espetador especial

Os 10 jogos que passam na TV e que não pode perder no fim de semana

Nem um tostão: A lista de jogadores livres no mercado

Hooligans voltam a atacar em Portugal: Polícia teve de intervir em Braga

Sporting ataca arbitragem do dérbi: “Alguém nos impediu de vencer”

Lá fora: Colapso total, o coração não basta e a batalha final

Por cá: Alerta máximo no leão, jackpot na Luz e Galeno só valeu play-off

Paços de Ferreira e Gil Vicente abrem a 14.ª jornada da I Liga

Hóquei em patins: Benfica vence dérbi… que aqueceu

Benfica revela bastidores do jogo que valeu a qualificação na Champions

Conheça os 46 esportes olímpicos de Tóquio 2020 e itens para praticá

Quer conhecer os 46 esportes olímpicos que vão ser disputados em Tóquio 2020? Nesse artigo, falamos sobre eles e te indicamos itens para praticar!

Conheça os 46 esportes olímpicos de Tóquio 2020 e itens para praticá

De 23 de julho a 8 de agosto de 2021, os olhos do mundo todo estarão virados para a cidade de Tóquio. A capital do Japão será palco das Olimpíadas, maior celebração esportiva do planeta. Mas quais são os esportes olímpicos que estarão presentes na edição 2020 dos Jogos? Para te deixar preparado para torcer, nós montamos um artigo especial. Você vai saber detalhes sobre cada um das 46 modalidades olímpicas que fazem parte da Era Moderna desse megaevento.

Falaremos também sobre a história das Olimpíadas e o significado de seu símbolo, os anéis olímpicos. Além disso, conversamos com alguns atletas do Time Brasil sobre esses esportes olímpicos. Todos esses esportistas serão representantes do país na edição que seria realizada em 2020 e foi adiada por conta da pandemia de Covid-19.

A propósito, o nome do evento se mantém Tóquio 2020 apesar de acontecer em 2021. Em nosso especial, você vai ler os tópicos a seguir.

As Olimpíadas, também chamadas de Jogos Olímpicos, são uma competição de diferentes modalidades que acontece a cada quatro anos. É a maior celebração esportiva mundial e reúne participantes de diversas nacionalidades.

O termo “Olimpíada”, no singular, se refere ao intervalo entre uma edição e outra dos Jogos. Normalmente, o período é de quatro anos. Como a edição de Tóquio 2020 foi adiada devido à pandemia da Covid-19, excepcionalmente, dessa vez, são cinco.

Além da conquista de medalhas, as Olimpíadas têm como missão unir as nações de todo o planeta. De acordo com o Comitê Olímpico do Brasil, o “Olimpismo tem como princípios a amizade, compreensão, mútua, solidariedade e jogo limpo (fair play)”. Trata-se de uma filosofia de vida. A ideia é que esses valores não fiquem restritos às disputas esportivas, mas tenham influencia para todas pessoas. Quem falou conosco sobre isso foi Carolina Araújo, gerente de Cultura e Valores Olímpicos do COB.

A tradição mitológica conta que Hércules, filho de Zeus com uma mortal, foi obrigado pela deusa Hera a realizar 12 trabalhos “impossíveis”. Um deles consistia em limpar os estábulos do rei Áugias. Esses locais não eram limpos há mais de 30 anos. Após conseguir finalizar o trabalho, o herói criou um festival em Olímpia para homenagear seu pai.

Apesar de sabermos que a Grécia foi o berço dos Jogos Olímpicos, não é possível precisar o ano certo da realização da primeira edição. Mas, a partir de 776 a.C., há registros dos vencedores da competição. O nome, obviamente, foi dado em homenagem à cidade de Olímpia. Os gregos que eram cidadãos livres (exceto escravos, mulheres e crianças) peregrinavam de diversas cidades-estado para competir por lá. Durante esse período, havia uma trégua em guerras.

No início, havia provas de atletismo, luta, boxe, corrida de cavalo e pentatlo (que englobava luta, corrida, salto em distância, arremesso de dardo e de disco). Os campeões ganhavam uma coroa de louros. Ela representava a vitória na Grécia e Roma antigas. Essas competições aconteceram até 394 d.C. Nesse ano, por motivos religiosos, o imperador romano Teodósio baniu as Olimpíadas.

Pedagogo e historiador, Pierre de Frédy (mais conhecido como Pierre de Coubertin ou Barão de Coubertin por conta de seu título de nobreza) ficou conhecido como pai dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Registros históricos apontam que ele tentou (e conseguiu) reviver o evento que era disputado na Grécia Antiga.

Em 23 de junho de 1894, fez a proposta em um congresso em Paris que terminou com a constituição do Comitê Olímpico Internacional (COI). Até hoje, essa é a entidade máxima do desporto internacional. Dois anos depois, a cidade de Atenas, na Grécia, recebeu a primeira edição das Olimpíadas da Era Moderna. Os seguintes esportes olímpicos foram disputados:

Os anéis (ou aros ou arcos) olímpicos são o principal símbolo das Olimpíadas. Eles foram idealizados pelo Barão de Coubertin em 1914. São cinco arcos entrelaçados que simbolizam a união dos cinco continentes. As cores são azul, amarelo, preto, verde e vermelho. Pelo menos uma delas está presente na bandeira de cada um dos Comitê Olímpicos Nacionais.

Em Tóquio 2020, serão disputados 46 esportes olímpicos. Desses, basquete 3 x 3, beisebol/softbol, karatê, escalada, surfe e skate são novidades adicionadas pelo Comitê Olímpico Internacional para a disputa no Japão. Abaixo, você confere a listagem com todas as modalidades olímpicas. Trazemos também algumas informações sobre elas e produtos caso você se inspire a praticá-las.

E, para isso, temos a participação de atletas do Time Brasil que estarão no Japão, como Yndiara Asp (skate), Martine Grael (vela), Rafael Silva (judô) e Ágatha (vôlei de praia). Conheça os 46 esportes olímpicos abaixo. A propósito, abaixo, te mostramos também os ícones de cada um deles!

O atletismo está nos Jogos Olímpicos desde seu início. É um dos esportes olímpicos mais tradicionais. Ele tem várias categorias, como os 100m, 200m, revezamento 4x100m, entre outras. Os EUA se destacam, e o Brasil tem 17 medalhas ao todo.

Curte atletismo? Temos algumas listas que podem te ajudar a praticar, como a que traz o melhor tênis para correr. Também temos artigos sobre o melhor tênis para corrida masculino e o melhor tênis para corrida feminino. Abaixo, uma oferta para quem quer começar a correr.

Já ouviu falar dessa modalidade? O badminton estreou em Barcelona 1992. É como se tênis e vôlei se juntassem, mas, ao invés da bola, uma peteca é utilizada. A China é a maior campeã, com 41 medalhas, sendo 18 ouros. O Brasil nunca subiu ao pódio. Veja ofertas de raquetes de badminton.

Esse esporte está nas Olimpíadas desde Berlim 1936. Com 28 medalhas, sendo 23 ouros, os EUA são os maiores vencedores. O Brasil tem uma prata e quatro bronzes, e o maior pontuador dos Jogos é o brasileiro Oscar Schmidt, com 1093 pontos em 38 jogos.

É um dos esportes olímpicos adicionados à edição atual dos Jogos Olímpicos. É uma “adaptação” do basquetebol, com 3 jogadores para cada equipe. Quer tentar um dos dois esportes citados acima? Confira ofertas de bolas de basquete em nosso site.

O beisebol e o softbol não são exatamente novidade nos Jogos Olímpicos. Depois de saírem do programa a partir de Londres 2012, eles retornam nessa edição. Os dois são esportes irmãos, sendo o softbol a versão para mulheres, e o beisebol, para homens, nas Olimpíadas. Os EUA são os maiores campeões no softbol (3 ouros). Cuba é o destaque no beisebol (3 ouros também). Curtiu esses esportes? Quer praticar? Temos ofertas de conjuntos para praticar beisebol em nosso site.

Desde St. Louis, em 1904, o boxe é modalidade olímpica. Dois pugilistas se enfrentam em um ringue, e a luta pode terminar por nocaute ou por pontos. Os EUA, com 50 ouros, e Cuba, com 37, são os maiores campeões. O Brasil teve um campeão na Rio 2016, o baiano Robson Conceição. Quer praticar? Confira ofertas de luvas de boxe em nosso site.

A canoagem slalom é aquela praticada em um circuito de corredeiras. Há balizas no meio do caminho e quem terminar em menos tempo leva a melhor. Essa modalidade olímpica estreou em Munique 1972. O Brasil não tem medalhas, mas tem chances com Pepê Gonçalves e Ana Sátila no Japão.

A canoagem velocidade ficou bem conhecida com o baiano Isaquias Queiroz na Rio 2016. Ele levou 3 medalhas naquela edição dos Jogos (duas pratas, sendo uma com o parceiro Erlon de Souza, e um bronze). A propósito, as três são as únicas do Brasil nessa modalidade nas Olimpíadas. A Alemanha é a maior campeã, contando os dois estilos de canoagem, com 32 ouros. Esse esporte olímpico estreou em Berlim 1936. Se você curtiu a canoagem velocidade e a slalom, veja ofertas de caiaques para praticar.

Aqui vale uma explicação. São cinco modalidades de ciclismo. Temos o BMX Corrida, BMX Freestyle, o Mountain Bike, o Ciclismo de Estrada e Ciclismo de Pista. Cada um tem suas regras de disputa. Ele se tornou um dos esportes olímpicos na primeira edição da Era Moderna, em Atenas 1896. Com 41 ouros, a França é a maior campeã contando todos.

Se quiser praticar, temos uma lista de melhor bicicleta para te ajudar. Abaixo, uma oferta que você pode curtir:

A escalada é um dos esportes que estreia nas Olimpíadas de Tóquio. Países como Japão, Alemanha, Grã-Bretanha e Eslovênia estão entre os favoritos. Ele contará com três provas: speed, boulder e lead. Cada esportista competirá nas três, e a classificação final levará em conta a participação em todas. Se você gostou e quer tentar praticar, temos ofertas de tênis para escalada.

A esgrima é um dos esportes olímpicos desde a primeira edição da Era Moderna das Olimpíadas. A Itália se destaca com 49 ouros. O Brasil não tem conquistas ainda, mas a atleta Nathalie Moellhausen, campeã mundial em Budapeste 2019 na espada, é um dos destaques e tem chances de subir ao pódio.

O futebol dispensa explicações. É um esporte olímpico desde Londres 1908. O feminino, contudo, só entrou em Atlanta 1996. A Hungria é a maior campeã, com três ouros, mas o Brasil é o atual vencedor e defenderá seu posto em Tóquio 2020 entre os homens. Já entre as mulheres, nosso país tem duas pratas, e os EUA se destacam, com quatro ouros. Oferta de bola de futebol é o que não falta em nosso site!

A ginástica tem três variações: artística, rítmica e de trampolim. A primeira entrou no programa em Atenas 1896. A segunda, em Los Angeles 1984, e a terceira, em Sydney 2000. O quadro geral, levando em conta as três, tem a antiga União Soviética, com 73 ouros, como maior potência. O único campeão do Brasil foi Arthur Zanetti, nas argolas, em Londres 2012.

O golfe estreou como esporte olímpico em 1900, prosseguiu no programa em 1904, mas ficou fora por um longo período. A modalidade só retornou na Rio 2016. Os americanos são os melhores no masculino. Já no feminino, destaque para a Coreia do Sul. Em termos de medalha, os EUA possuem 11 ao todo, sendo 3 ouros. O Brasil nunca subiu ao pódio. Quer tentar o golfe? Veja a oferta abaixo!

É o famoso levantamento de peso. Ele consiste em dois movimentos, arranco e arremesso. No feminino, a China tem 11 ouros. No masculino, a antiga União Soviética é maior campeã, com 39 ao todo. O Brasil não tem pódios. Está presente nas Olimpíadas desde Atenas 1896. Gostou? Temos ofertas de halteres e também de barras de musculação para você!

O handebol se tornou esporte olímpico em Berlim 1936 (só masculino). Depois, saiu do programa. Voltou somente em Munique 1972. Quatro anos depois, em Montreal, as mulheres passaram a competir. A França é a maior campeã entre os homens, com dois ouros. No feminino, a Dinamarca é tricampeã. O Brasil ainda não conseguiu levar pódios. Veja abaixo ofertas para quem quer começar a jogar!

A modalidade começou em Paris 1900. Até 1952, em Helsinque, só homens podiam competir. A partir daí, as mulheres passaram a competir também. No quadro unificado, a Alemanha é a maior potência com 25 ouros. Atualmente, são disputados o adestramento, o concurso completo de equitação (CCE) e os saltos, todas por equipes e no individual. O brasileiro Rodrigo Pessoa foi campeão em Atenas 2004. Nosso site tem ofertas de botas e capacetes para quem se interessou pelo hipismo, mas cavalos não, ok?

Desde Londres 1908, o hóquei na grama está no programa olímpico. A Índia é oito vezes campeã no masculino, e a Holanda e Austrália são as potências femininas, com três ouros cada. O Brasil nunca subiu ao pódio. Aqui, um aviso importante: o hóquei no gelo, que é mais popular, só aparece nos Jogos de Inverno. Nas Olimpíadas (de Verão), é na grama mesmo!

O judô estará em casa no Japão! Arte marcial com origem no país, foi disputado pela primeira vez nas Olimpíadas em Tóquio 1964. Quem é o maior vencedor? Os japoneses, é claro, com um total de 37 ouros. O Brasil é forte também e já subiu ao lugar mais alto do pódio quatro vezes.

Por esse motivo, convidamos o judoca peso-pesado Rafael Silva, o Baby, que estará na capital japonesa, para falar sobre sua modalidade. Ele é dono de dois bronzes olímpicos, em Londres 2012 e na Rio 2016.

Bem legal, né? Se você se interessou, temos ofertas de quimono e outros produtos de judô.

O karatê se tornou um esporte olímpico recentemente e estreará nessa edição. Serão 80 atletas ao todo participando das disputas. Japão, França, Turquia, Irã e Austrália prometem brigar pelas medalhas nessa modalidade olímpica. Veja ofertas de quimonos para treinar!

A luta está entre os esportes olímpicos desde Atenas 1896. Há dois estilos, o greco-romano e o livre. O segundo fez sua estreia em St. Louis 1904, e somente os Jogos de Paris, em 1900, não tiveram essa modalidade. No quadro de medalhas unificado, a União Soviética é a principal vencedora, com 62 ouros, e os EUA vêm em segundo, com 54. O Brasil nunca levou medalha.

Essa modalidade olímpica entrou em Pequim 2008. Ela é disputada em ambiente aberto (mares ou rios). A distância olímpica é 10km e vence quem chega mais rápido no fim do percurso. A brasileira Poliana Okimoto é dona de um bronze nos 10km na Rio 2016.

O nado artístico é como se fosse um balé na água. A primeira vez desse esporte olímpico nos Jogos foi em Los Angeles 1984. EUA e Canadá são potências, mas a Rússia é o principal país, com 10 ouros ao todo. Somente mulheres disputam essa modalidade nas Olimpíadas. Antigamente, ela era conhecida como nado sincronizado.

A natação é tradicional. Ela foi disputada em todas as edições e, desde 1912, tem a participação de mulheres também. Os EUA são os maiores campeões com 246 ouros. Uma curiosidade é que essa modalidade é a que mais distribui medalhas em uma edição dos Jogos Olímpicos, pois tem várias classes de disputa diferentes. O Brasil tem 14 medalhas, sendo um ouro.

Um nadador é o maior medalhista da história das Olimpíadas. Trata-se de Michael Phels, que tem 28 pódios, sendo 23 ouros. Se você curtiu a natação, a maratona aquática e o nado artístico, veja ofertas de toucas e também os preços de óculos de natação em nosso site.

O pentatlo moderno reúne esgrima, natação, atletismo, tiro e hipismo. A curiosidade é que é uma modalidade criada especificamente para as Olimpíadas. Foi um desejo do criador dos Jogos da Era Moderna, o Barão de Coubertin. A primeira edição que contou com esse esporte olímpico foi Estocolmo 1912. Hungria e Suécia, com 9 ouros cada, são as maiores campeãs. A brasileira Yane Marques foi bronze em Londres 2012.

É difícil para praticar, pois reúne muitas modalidades em uma só e exige um alto investimento. Contudo, quem se interessa pode, por exemplo, nadar ou correr. Nesse caso, temos listas que podem te ajudar, como melhor tênis de corrida feminino e melhor tênis de corrida masculino. Abaixo, veja algumas ofertas!

É um dos esportes olímpicos que estreou em Paris 1900. É como uma partida de handebol, só que na água, e o objetivo dos jogadores é fazer gols. A Hungria tem 9 ouros no masculino, e os EUA possuem dois no feminino. O Brasil não tem medalhas.

O remo também fez sua estreia em Paris 1900. No quadro geral, EUA e a antiga Alemanha Oriental são os maiores campeões, com 33 ouros. Mas os americanos possuem 89 pódios ao todo contra 48 dos europeus. O Brasil não tem medalhas olímpicas, contudo, é um esporte bastante praticado por aqui. Muitos times de futebol populares do país têm sua origem como clubes de regatas. Para quem quer praticar, temos ofertas de remos.

Nos Jogos de 1900, 1908 e 1924, o rugby teve disputa por pódio. Depois de um longo intervalo, o esporte olímpico retornou na Rio 2016 com a modalidade de sete jogadores. A mais popular, contudo, conta com 15 de cada lado. Os EUA possuem dois ouros, e o Brasil não tem conquistas no cenário das Olimpíadas. Em nosso site, há ofertas de bolas de rugby.

Nessa modalidade, os atletas saltam de plataformas de alturas diferentes e fazem acrobacias. Desde 1904, é um dos esportes olímpicos. EUA, com 49 ouros, e China, com 33, são os maiores campeões. O Brasil ainda segue em busca de pódios nessa modalidade.

O skate é um dos novatos nos Jogos Olímpicos. É uma tentativa do COI de rejuvenescer as Olimpíadas e fará sua estreia em Tóquio 2020. Representante da modalidade Park, a skatista Yndiara Asp vai disputar a edição no Japão e, em entrevista exclusiva ao nosso site, falou sobre a modalidade.

O skate é muito popular no Brasil, nos EUA e em outros países. Os dois, aliás, são candidatos à medalha na edição do Japão. Se você quiser se aventurar, temos produtos para você. Confira alguns abaixo!

Assim como o skate, o surfe vai estrear como um dos esportes olímpicos no Japão. A exemplo da modalidade anterior, Brasil e EUA são destaques também. A modalidade nem precisa ser apresentada, afinal, é muito popular nas praias por aqui.

Ela será disputada em baterias em Tóquio, com 30 minutos cada. A cada onda finalizada, o surfista recebe uma nota. Quem tiver o maior somatório, passa para a próxima rodada. Veja ofertas de roupas de neoprene para encarar o mar por aí! Além disso, temos ofertas de pranchas também.

O taekwondo entrou no rol de esportes olímpicos em 1988 na Coreia do Sul. Esse país, aliás, é o berço dessa arte marcial. Contudo, ela só foi valer medalha em Sydney 2000. O Brasil possui dois bronzes, e os sul-coreanos são os maiores campeões com 12 ouros. Em nosso sites, há ofertas de produtos para praticar taekwondo.

EUA e Grã-Bretanha são os países dominantes, com 21 e 17 ouros, respectivamente. O tênis estreou em Atenas 1896, mas deixou de estar entre os esportes olímpicos a partir de Amsterdã 1928. A modalidade voltou para o programa em Seul 1988. Há disputas femininas e masculinas, em dupla e individual. Confira produtos para jogar abaixo!

O tênis de mesa começou como modalidade olímpica em 1988. Muita gente conhece como “ping-pong” ou “pingue-pongue”. Nesse esporte não tem discussão: a China é a maior campeã e possui 28 ouros. A Coreia do Sul, vice-colocada, tem somente três. Temos ofertas de produtos para jogar tênis de mesa.

O tiro esportivo é disputado desde a primeira edição da Era Moderna em 1896. St. Louis 1904 e Amsterdã 1928 foram as únicas edições onde não foi disputado. No quadro geral, contando masculino e feminino, os EUA são os maiores campeões, com 54 ouros. A primeira medalha da história brasileira nos Jogos foi nesse esporte. Aconteceu em 1920 com Guilherme Paraense.

Essa modalidade olímpica é disputada desde Paris 1900. Os sul-coreanos, com 23 ouros, são os maiores vencedores. O Brasil nunca subiu ao pódio. No Japão, haverá disputas individuais (masculinas e femininas), por equipes (nos dois naipes) e mistas (misturando homens e mulheres).

O triatlo é um esporte “jovem” nos Olímpicos. Entrou no programa em Sydney 2000. Como funciona? O atleta nada 1,5km, pedala 40km e corre 10km. Não há intervalo entre as provas! Ou seja, é de resistência! Grã-Bretanha e Suíça têm dois ouros cada, e o Brasil não tem conquistas nessa disputa. Para quem quer praticar, vale a pena aprender como um escolher tênis para corrida.

Abaixo, ofertas de produtos para quem curte ciclismo e corrida, duas das modalidades que compõem o triatlo.

A vela está desde Paris 1900 no rol dos esportes olímpicos e só não ocorreu em 1904. Com 27 ouros, a Grã-Bretanha é a maior campeã. Contudo, o Brasil é bem forte nesse esporte. São 7 ouros (e 18 pódios ao todo). Martine Grael, que foi ouro com Kahena Kunze na Rio 2016, deu uma entrevista exclusiva para explicar sua modalidade.

O vôlei vai voltar para o país onde fez sua estreia como um dos esportes olímpicos. Foi em 1964 na edição de Tóquio. O esporte dispensa apresentações, e o Brasil é uma potência. No masculino, são três ouros, e o status de maior campeão juntamente com a União Soviética. E, no feminino, são dois. Mais uma vez, a seleção chegará forte na briga. Quer jogar? A lista de melhor tênis para vôlei pode ser para você! Veja ofertas abaixo!

Para finalizar os 46 esportes olímpicos, chegamos ao vôlei de praia. É uma modalidade extremamente popular no Brasil, disputada nas areias pelo país inteiro. Barcelona 1992 foi a primeira vez que foi disputado. Brasileiros e americanos são os principais competidores desse modalidade que põe duplas frente a frente.

Medalhista de prata na Rio 2016 e representante em Tóquio ao lado de Duda Lisboa, Ágatha Bednarczuk Rippel conversou conosco para contar por quais motivos seu esporte é um dos mais populares das Olimpíadas.

Para você não perder nada do megaevento que invade a capital japonesa, temos um artigo que te ensina como preparar sua casa para assistir aos Jogos Olímpicos! Há produtos como TVs, tablets, celulares, soundbars, entre outros, para trazer Tóquio 2020 para dentro da sua casa. Abaixo, algumas ofertas citadas nessa listagem.

Economize agora com a nossa extensão gratuita

Referência:
esportes.yahoo.com
www.noticiasaominuto.com
www.buscape.com.br

Botão Voltar ao Topo