Notícias

França liberta suspeito de ligação ao assassinato de Jamal Khashoggi

França liberta saudita detido por engano por assassinato de Khashoggi

Jornal Leia Notícias

França liberta saudita detido por engano por assassinato de Khashoggi

A França libertou nesta quarta-feira um cidadão saudita preso em um aeroporto de Paris por suspeitas de ligações com o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi (foto), depois que autoridades concluíram que se tratava de um caso de identidade errada.

Fontes policiais francesas identificaram o homem detido como Khaled Aedh Al-Otaibi, o mesmo nome de um ex-membro da Guarda Real Saudita listado em documentos de sanções dos Estados Unidos e do Reino Unido e em relatório encomendado pela ONU como tendo envolvimento no assassinato de Khashoggi na Turquia.

A embaixada saudita em Paris afirmou na noite de terça-feira que a pessoa presa “não tem nada a ver com o caso em questão”.

Os promotores disseram que, de acordo com checagens, um mandado de prisão emitido pela Turquia não se aplica ao homem. Anteriormente, uma fonte policial declarou que ele havia sido detido quando uma leitura de seu passaporte disparou um alerta.

“Amplas verificações da identidade dessa pessoa mostraram que o mandado não se aplicava a ela … ela foi libertada”, informou o comunicado da promotoria.

O saudita estava visitando a Paris com um amigo e tinha um visto válido para a França, disse uma fonte familiarizada com o assunto após a libertação do homem. Ele tem o mesmo nome e sobrenome de al-Otaibi, mas não o mesmo nome patronímico. Nem seu número de passaporte correspondia ao número de passaporte do suspeito procurado, acrescentou a fonte.

Khashoggi, jornalista do Washington Post e crítico do governante de fato da Arábia Saudita, o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, foi visto pela última vez entrando no Consulado Saudita em Istambul em 2 de outubro de 2018. Autoridades turcas acreditam que seu corpo foi esquartejado e removido de lá. Seus restos mortais não foram encontrados.

Fonte: Yahoo!

O Corinthians fez história nesta quarta-feira (8). Diante de 30.077 torcedores, maior público já registrado no…

França liberta homem suspeito do homicídio de Jamal Khashoggi

As autoridades dizem ter-se tratado de um caso de “identidade equivocada”.

França liberta homem suspeito do homicídio de Jamal Khashoggi

© Getty Images

MundoJamal Khashoggi

O homem detido, esta terça-feira, suspeito de estar ligado ao homicídio do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi libertado, num caso de “identidade equivocada”.

Khaled Aedh Al-Otaibi, de 33 anos, estava prestes a embarcar num voo para Riade, na Arábia Saudita, quando foi detido no aeroporto Roissy, perto de Paris, em França.

O homem terá o mesmo nome de um antigo guarda da coroa saudita, que consta em documentos dos Estados Unidos e do Reino Unido e num relatório das Nações Unidas como sendo um dos 15 homens envolvidos na morte do jornalista, na Turquia.

No final do dia de ontem, a embaixada da Arábia Saudita em Paris já tinha dito que o homem “nada tem a ver com o caso em questão”.

Uma fonte de segurança saudita adiantou ainda que o nome é muito comum no reino e que a pessoa em causa estava já presa na Arábia Saudita com “todos os suspeitos do caso”, cita a Reuters.

“Verificações extensas da identidade desta pessoa mostraram que o mandato não se aplicava a ele”, refere um comunicado do Ministério Público de Paris, que acabou por libertar o homem.

Jamal Khashoggi – o jornalista saudita que estava exilado nos Estados Unidos, onde escrevia uma coluna para o jornal The Washington Post, com fortes críticas ao regime do seu país – foi violentamente assassinado nas instalações do consulado da Arábia Saudita em Istambul, a 2 de outubro de 2018, por um comando de agentes de Riade.

Depois de negar o assassínio, Riade acabou por admitir que a morte do jornalista fora cometida por diversos agentes sauditas que agiram por sua conta.

Após um julgamento na Arábia Saudita, muito criticado pela comunidade internacional, cinco sauditas foram condenados à morte e três a penas de prisão, mas, desde então, as sentenças de morte foram comutadas.

Leia Também: Detido suspeito de estar ligado ao homicídio de Jamal Khashoggi

Cancún desde 556€ ida e volta!

Mergulhe nestas praias que são autênticos cenários de postal. Reserve já!

Apresentamos-lhe ‘Os Originais’: Nunca comeu frutos secos como estes!

Seja sempre o primeiro a saber.Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.Descarregue a nossa App gratuita.

Regras de conduta dos comentários

43.200€

8.900€

41.500€

13.600€

61.900€

19.900€

Mata família e suicida-se com medo de ir preso por falsificar certificado

Vacinas contra a Covid-19 são eficazes contra Ómicron, diz OMS

Chefe militar da Índia entre os 13 mortos em acidente de helicóptero

AO MINUTO: Internamentos descem; Começar “provavelmente” pelos 11 anos

“Os russos voltarão em caixões”: Ucrânia ameaça Rússia em caso de invasão

Biden contacta aliados europeus após conversa com Presidente russo

Idosa encontrada morta após cair de ponte durante tempestade Barra

Variante Ómicron já foi identificada em 57 países

Detido suspeito de estar ligado ao homicídio de Jamal Khashoggi

Brasil passa a exigir quarentena de cinco dias a viajantes não vacinados

Bangladesh condena 20 pessoas à morte por assassínio de estudante em 2019

Olaf Scholz eleito chanceler federal pelo Parlamento alemão

OMS diz que principal problema da Europa continua a ser a variante Delta

Boris Johnson pede desculpa mas nega festa em Downing Street

Tempestade Barra chega à Escócia e cobre tudo de branco

Pequim condena países que boicotam Jogos Olímpicos de Inverno de 2022

Carro e estudante desaparecidos em 1976 encontrados em rio

Alemanha soma mais 70.611 casos de Covid-19 em 24 horas

Sem-abrigo ateia fogo a árvore de Natal no centro de Nova Iorque

Jornalista filipino morto a tiro enquanto via televisão numa loja

AO MINUTO: PSD quer parecer sobre vacinação; China aprova tratamento

Covid-19: China aprova tratamento com anticorpos produzido no país

Portugueses preveem inaugurar Santuário de Fátima na Venezuela em 2022

Estados Unidos ordenam embargo de armas ao Camboja

Referência:
leianoticias.com.br
www.noticiasaominuto.com

Botão Voltar ao Topo