Notícias

OE2022: FESAP discute na 3.ª feira formas de luta para a Função Pública

OE2022: FESAP discute na 3.ª feira formas de luta para a Função Pública

A Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) vai discutir na terça-feira formas de luta para os trabalhadores pressionarem o Governo no sentido de melhorar a proposta de Orçamento do Estado (OE2022) e dar resposta às suas reivindicações.

OE2022: FESAP discute na 3.ª feira formas de luta para a Função Pública

© Global Imagens 

14/10/21 18:11 ‧ Há 20 mins porLusa

EconomiaOE2022

“Na próxima reunião da comissão executiva da Fesap, na terça-feira, vamos avaliar todas as formas de luta, incluindo a greve, geral ou a nível setorial, para pressionar o Governo a melhorar o OE no que respeita à administração pública, que sabe a pouco e agrava as injustiças já existentes”, disse à agência Lusa o secretário-geral da FESAP, José Abraão.

O sindicalista lembrou que o Governo não respondeu a um conjunto de reivindicações da Fesap nas duas reuniões negociais da semana passada, nem na proposta de OE2022 entregue na segunda-feira do parlamento, nomeadamente à necessidade de aumento das pensões, do subsídio de refeição e dos suplementos remuneratórios e à redução da carga fiscal.

“Queremos contribuir para melhorar o OE2022, que é insuficiente e injusto, e vamos dar conta disso aos partidos e grupos parlamentares, porque acreditamos que é possível ir mais além”, disse.

O relatório que acompanha a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) entregue na segunda-feira pelo Governo no parlamento confirma os aumentos salariais de 0,9% para a generalidade dos funcionários públicos no próximo ano.

Segundo um documento com as prioridades da proposta de OE2022, o salário base dos técnicos superiores da administração pública, que é de 1.205 euros, vai também aumentar em 50 euros até 2023, mas a negociação desta matéria está prevista para o início do próximo ano.

Segundo José Abraão, “isso não diz nada aos milhares de assistentes técnicos operacionais que este ano tiveram um acréscimo salarial de 10 euros e no próximo vão ter apenas seis euros, sem qualquer justificação para tal”.

Entretanto, o Governo convocou hoje os sindicatos da função pública para uma reunião de negociação suplementar na quarta-feira, correspondendo ao pedido dos representantes dos trabalhadores, que não ficaram satisfeitos com os aumentos de 0,9% para 2022, apresentados na segunda e última reunião negocial, na semana passada, pela ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública.

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública (FCSAP), a Federação dos Sindicatos da Administração Pública e a Frente Sindical optaram por pedir a negociação suplementar, prevista na lei, com o objetivo de tentar melhorar a proposta do Governo, que nem prevê aumento do subsídio de refeição, que é de 4,77 euros.

A Frente Sindical, liderada pelo Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), reivindica aumentos de 3% para o próximo ano, a Federação Sindical dos Sindicatos da Administração Pública (Fesap) exige uma atualização de 2,5% e a Frente Comum 90 euros para todos os trabalhadores.

Em 2021 houve aumentos de 20 euros para a remuneração base da função pública, para os 665 euros, para ficar igual ao salário mínimo nacional, e em 10 euros para os salários que se situavam entre os 665 e os 791,91 euros.

Nos últimos 12 anos apenas em 2020 houve aumentos para todos os trabalhadores da administração pública, de 0,3%, em linha com a inflação.

Os sindicatos da Frente Comum discutem na segunda-feira a marcação de uma greve na função pública a 12 de novembro.

Leia Também: Bombeiros profissionais desagradados marcam greve para 11 e 12 novembro

Estados Unidos, here we go!

Nova Iorque desde 365€ ida e volta. Reserve já!

Frutas e legumes. Continente é o único no mundo com esta certificação

Seja sempre o primeiro a saber.Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.Descarregue a nossa App gratuita.

Regras de conduta dos comentários

Posto de abastecimento espanhol faz descontos especiais para portugueses

Do apoio para os mais novos às pensões: Os detalhes que já se conhecem

Transportadores vão definir medidas para contestar subida de combustíveis

Após estreia no Porto, Uber lança serviço ‘low-cost’ em Lisboa

Preços dos combustíveis devem voltar a ficar mais caros na 2.ª feira

Subsídio desemprego: Majoração do valor mínimo abrange 168 mil pessoas

IKEA alerta que escassez de artigos deve manter-se até ao verão de 2022

Estas são as quatro principais medidas do OE2022 para os jovens

Teletrabalho: Quadro comunitário tem 20 milhões para espaços no interior

Mais uma baixa. Energia Simples sai temporariamente da comercialização

OE “assume objetivo muito ambicioso”. Costa quer superar 2019 já em 2022

Esforço fiscal do IRS Jovem deve ser acompanhado por aumento de salários

Governo marcou negociação suplementar na Função Pública para quarta-feira

Estado condenado a indemnizar antiga gestora do Hospital de Braga

Preços a aumentar? DECO defende descida de impostos sobre os combustíveis

EUA mostram-se disponíveis para reativar o organismo de recurso da OMC

Produção automóvel cai 35,7% em setembro

Portugal Air Summit poderá “voar” até Espanha em futuras edições

Açores com mais de um milhão de dormidas turísticas até agosto

PSI20 avança 0,49% em linha com bolsas europeias

Limite de mil euros nas deduções aplica-se a rendimentos de 80 mil euros

Portugal é o país da UE com reservas mais baixas de armazenamento de gás

Fundos de coesão devem convergir com desenvolvimento ecológico e digital

Portugal entre países da UE “de risco” por problemas no gás argelino

Referência

OE2022: FESAP discute na 3.ª feira formas de luta para a Função Pública
www.noticiasaominuto.com

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo