Brésil

Cuba repudia debate no Parlamento Europeu sobre direitos humanos na ilha

Cuba repudia debate no Parlamento Europeu sobre direitos humanos na ilha

A Assembleia Nacional de Cuba acusou o Parlamento Europeu de promover debate “politizado” e que “responde aos interesses dos EUA” sobre os direitos humanos na ilha

Cuba repudia debate no Parlamento Europeu sobre direitos humanos na ilha

A Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba (ANPP, parlamento unicameral composto exclusivamente por aliados do regime castrista) descreveu nesta segunda-feira o próximo debate no Parlamento Europeu sobre os direitos humanos na ilha como um “exercício politizado” e acusou seus idealizadores de responder aos interesses dos Estados Unidos.

A declaração do Comitê de Relações Internacionais da ANPP diz que os parlamentares que impulsionam o debate, marcado para a próxima quinta-feira, respondem à agenda de Washington.

“Os promotores desta nova manobra não têm autoridade moral para se declararem defensores dos direitos do povo cubano”, declarou o texto. “Eles não representam a opinião de todos os deputados”, acrescenta a nota, que destaca o trabalho do Grupo Parlamentar de Amizade com a ilha no fórum.

Os parlamentares cubanos denunciam que a proposta mais uma vez transforma o Parlamento Europeu em “um triste refém de uma escalada agressiva, estranha aos interesses genuinamente europeus e contrária ao espírito de diálogo respeitoso que tem prevalecido nas relações entre Cuba e a União Europeia”.

“As ações repetidas deste grupo de legisladores, cujo desempenho nestas questões se caracteriza pela duplicidade de padrões e o uso intensivo de mentiras devem ser motivo de preocupação para os cidadãos e as instituições da União Europeia”, alertou o Comitê de Relações Internacionais da ANPP.

Em junho, o Parlamento Europeu adotou uma resolução – lançada pelo grupo conservador do Partido Popular Europeu juntamente com os liberais e os eurodeputados de extrema direita – na qual disseram que Cuba não fez progresso concreto algum na área dos direitos humanos.

Os legisladores também condenaram as violações dos direitos humanos em Cuba como “perseguição política persistente e permanente, atos de assédio e detenções arbitrárias de dissidentes” e exigiu a libertação dos presos políticos na ilha.

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, incluindo o recebimento de conteúdos e promoções da Gazeta do Povo. O descadastramento pode ser feito a qualquer momento neste link.

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Referência

Cuba repudia debate no Parlamento Europeu sobre direitos humanos na ilha
www.gazetadopovo.com.br

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo